Carlos Ghosn e o futuro de uma trindade automotiva

O franco-libanês-brasileiro de 62 anos,  Carlos Gohsn, depois de 16 anos à frente da montadora Nissan, deixará o cargo de executivo-chefe da companhia em 1º de Abril, no entanto, continuará como presidente do conselho da montadora.

Em outubro de 2016, a Nissan adquiriu 34% da Mitsubish Motors, que  estava availado em 2,3 bilions de dólares. E com a Nissan e a Renault ganhando mais mercado, acredita-se que Carlos Goshn investirá seu tempo e energia na Mitsubish Motors, com o objetivo de impulssionar a gigante japonesa no mercado.

"Há um momento em que temos de ser realistas sobre o que fazemos e o que podemos fazer de melhor, este é o fator decisivo", explicou Carlos Ghosn na sede da Nissan em Yokohama.

Mesmo cedendo a posição de CEO da Nissan, Ghosn, não somente se manterá, como presidente do conselho da companhia, mas  também, continuará a ser CEO do Grupo Renault e presidente do conselho da Mitsubish Motors.

“Como Chairmain da Nissan, continuarei a supervisar e guiar a compania, de forma independente, dentro da aliança Renault-Nissan-Mitsubish”, declarou Ghosn.

“Depois de ter assumido novas responsabilidades na Mitsubish Motors, e levando em cosideração a reunião de acionistas da Nissan, eu acabei decidindo que agora seria o momento certo para que tenhamos o Hiroto Saikama me sucedendo como CEO da Nissan.” - continua Ghosn -  "Chega um momento em que você tem que passar o bastão para outra pessoa. Sempre disse que queria que um japonês me sucedesse e faz muitos anos que eu preparo Saikawa-san", adicionou.

Carlos Ghosn será substituído pelo seu co-CEO na Nissan, Hiroto Saikawa, quem se encontra na  companhia desde 1977. Até meados do ano passado, Saikaba mantinha o cargo de ‘chief competitive officer’ e era também, presidente do conselho da Associação de Montadoras de Automóveis Japoneses.

“Tenho confidência que a equipe de gestão que desenvolvi na Nissan nesses ultimos 18 anos tem o talento e a experiência necessária para alcançar os objetivos estratégicos e operacionais da companhia.”

De acordo com o uma declaração emitida  pelo porta-voz da Nissan, o anúncio sobre a mudança de liderança na companhia havia sido planejado com antecedência, com a intenção de liberar a agenda de Carlos para que possa concentrar-se em sua atuação na aliança entre as três companhias. Aliança essa, na qual Ghosn se manterá como presidente do conselho e CEO.

As ações da Nissan, ainda que mesmo apresentando somente uma suave retração de 5% nesses ultimos 3 meses, seguiu acumulando um acrécimo de 20% em seu valor até o dia de hoje, se comparada ao periodo quando foi anunciado o planejamento e controle parcial da Mitsubish Motors. Já as ações da Renault SA, apresentaram um acréscimo de quase 25% em seu valor durante esse periodo.  O impressionante, aconteceu com as ações Mitsubish Motors Corp. que tiveram um aumento de 52% em seu valor, nesses últimos meses, durante e depois da aquisição de controle parcial pela Nissan.

Like what you see! Signup for our weekly newsletter

Comments(0)